Capa » Cultura Inglesa » As piores propagandas da Inglaterra

As piores propagandas da Inglaterra

Spread the love

Uma propaganda do KFC com pessoas cantando de boca cheia foi eleita a pior da historia na Inglaterra.

A Advertising Standards Authority, a agencia Britânica que cuida de propagandas na TV, revelou a lista dos piores comerciais mostrados no Reino Unido nos últimos 50 anos.

A propagando do KFC de 2005 recebeu 1,671 reclamações – a maioria sobre o incentivo ao péssimo habito de falar de boca cheia.

[iframe src=”http://www.youtube.com/embed/28Enrrh9XOA” frameborder=”0″ allowfullscreen]

O segundo maior numero de reclamações foi sobre o canal de compras Auction World television, que não enviava os produtos e enganava o consumidor.

O Paddy Power de 2010, que mostra um gato sendo chutado ao longo de um campo de futebol por um jogador de tapa-olho ficou em terceiro como propaganda mais odiada.

A lista comemora os 50 anos da Advertising Standards Authority, que controla os padrões de propagandas no Reino Unido e recebeu em torno de 431,000 durante sua história.

Um comercial do Partido Cristão de 2009, que dizia: “Deus definitivamente existe. Entre para o Partido Cristão e aproveite a vida” recebeu 1,204 reclamações.

A campanha pelo uso de preservativos de 2010 que mostrava o Papa usando um capacete e o slogan: “O décimo primeiro mandamento: Use camisinha” ficou em quinto.

Segundo o ASA: “Nossa missão para os próximos 50 anos é a mesma: manter propagandas na Inglaterra descentes, honestas e verdadeiras.”

O Brasil bem que podia ter uma autoridade assim.

http://www.asa.org.uk

Check Also

sorry!

Sorry: Porque os Britânicos se desculpam tanto?

Spread the loveTrês quartos dos Britânicos pedem desculpas quando alguém esbarra neles na rua.

A Inglaterra definida em uma imagem

Spread the loveIngleses encharcados em uma tentativa de verão na fila da barraquinha chá, durante ...

Um comentário

  1. Fernando Castro

    na realidade, o Brasil possui e funciona extremamente bem.
    É o CONAR, Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *